Ontem, 3, foi divulgado ao público que a Camila Mendes estaria na nova capa da revista americana Nylon, além de ter um photoshoot incrível, a atriz concedeu uma entrevista onde ela conta sobre sua vida pessoal, distúrbio alimentar, carreira, Riverdale e mais. Confira a matéria e as fotos abaixo:

Demorou cerca de 30 minutos para que Camila Mendes me olhasse bem nos olhos – os cantos de sua boca começavam a se enrolar, como um sorriso de gato – e dizer, em uma voz mais baixa do que ela estava usando anteriormente: ”Eu provavelmente mostraria meus seios para qualquer um. ”Ela ri, e eu rio, e ela continua, mais alto agora: ”Eu provavelmente faria isso. Eu realmente não me importo. É apenas genuíno mesmo. Sim, esses são meus peitos. Existe algum problema? Eu não entendo qual é o problema.”

Nem eu. Mas então, só porque algo não é um problema, isso não significa que é algo esperado e não significa que é algo que geralmente é feito. E ainda, Camila Mendes, a estrela de Riverdale que acabou de completar 24 anos (ela interpreta a sobrenaturalmente segura Veronica Lodge), realmente não se importa com o que é esperado, ou sobre fazer o que já foi feito antes; ela está muito empenhada em navegar por seu próprio caminho, em escrever suas próprias regras para qualquer jogo que esteja sendo jogado – ou, na verdade, em parar completamente o jogo, de se recusar a jogar junto com modos desatualizados.

Mas sobre, hum, mostrar os peitos dela: Mendes e eu estamos conversando em um dia ensolarado de verão em Nova York, sentados dentro de uma cafeteria que nós dois concordamos que tem a melhor avocado toast na cidade (Mendes pega a dela com um ovo frito em cima), e é apenas um par de dias após a sessão de fotos para esta revista. Estamos discutindo todas as maneiras pelas quais as mulheres jovens são ensinadas a sentir vergonha sobre coisas que são naturais – e, especificamente, vergonha sobre nossos corpos.
“Quando eu estou em sessões de fotos e há um pouco do meu mamilo aparecendo, há sempre uma conversa gigante sobre isso. Como com a NYLON, todo mundo estava tipo, “está tudo bem? Vamos mesmo fazer isso?” E eu fiquei tipo ”Todos parem de falar sobre isso. Vamos apenas fotografar. Isso não é uma conversa”, diz Mendes, continuando: ”Eu a fechei completamente e disse que isso era algo que não íamos sentar lá e debater, porque eu sei como me sinto sobre isso, e estou totalmente de acordo em tirar uma foto com os meus seios aparecendo”.

Sabendo como ela se sente sobre as coisas e depois agir sobre esses sentimentos é claramente uma das características definidoras de Mendes; pode ser visto em como ela se aproxima de uma sessão de fotos, e pode ser visto em como ela se aproxima de sua carreira, que está apenas começando, e também, já começando muito bem, com seu primeiro papel, a de Veronica Lodge, sendo o tipo de oportunidade que define a carreira para a qual muitos atores esperam a vida inteira.

Ainda assim, embora a frase ”sucesso da noite pro dia” pudesse, teoricamente, ser aplicada a Mendes, isso seria ignorar os anos de trabalho e treinamento que ela colocou na criação de uma base para sua carreira, bem como seu interesse inato em atuar.

Quando criança, eu era muito performativa”, diz Mendes.”Eu nunca gostei muito de brincar com bichos de pelúcia. Eu gostava de SER os bichos de pelúcia. É algo que sempre fez parte de mim. Nunca houve um momento em que eu pensei: “Oh, eu vou ser atriz”. Eu apenas continuei fazendo isso.”

E isso é exatamente o que ela fez. Mendes estudou na prestigiada escola de Artes Tisch da Universidade de Nova York, enquanto lá, Mendes fez estágio em uma agência de talentos e começou a fazer audições quando terminou a escola. Não demorou muito para que os rumores de uma nova série, um reboot dos quadrinhos do clássico Archie Comics começassem a girar e Mendes diz que ela ouviu “todo mundo falando sobre Riverdale”.

Do ponto de vista dos jovens atores que tentam pegar seus grandes papéis, é compreensível que as notícias de uma série repleta de papéis apenas para eles sejam empolgantes, mas empolgantes nem sempre significam coisas boas. Porque enquanto os quadrinhos de Archie Comics são divertidos em um estilo vintage e cheio de nostalgia, os personagens que povoam suas páginas são redutivos, com Archie Andrews sendo o cara legal e as duas protagonistas – Betty e Veronica – emblemáticas as maneiras pelas quais as mulheres são frequentemente confrontadas umas com as outras, com uma – Betty – sendo a saudável, a garota da casa ao lado e a outra – Veronica – sendo a valente rica, e ambas trancadas em uma luta sem fim para ganhar as afeições de um menino que realmente não merece nenhuma delas.

Mas Riverdale não tinha intenções de permanecer completamente fiel à sua fonte original; em vez disso, prometia algo diferente de suas fundações puras, um adolescente Twin Peaks, com uma revelação de um estudante de ensino médio assassinado, cuja misteriosa morte seria o mistério central da primeira temporada da série. Só que em vez de “Quem matou Laura Palmer?”, A questão tornou-se “Quem matou Jason Blossom?”, Com Riverdale subvertendo a noção da “garota morta” vista em tanta televisão noir, deixando claro que isso não era típico de série teen, e que as jovens mulheres em seu mundo não seriam vítimas tácitas.

Essa não foi a única maneira pela qual Riverdale derrubou tanto o material quanto a maior parte da TV; os corredores mal iluminados de Riverdale High estavam cheios de estudantes de todas as etnias e orientações sexuais; os conflitos que esses personagens enfrentam são muitas vezes absurdos e tingidos com níveis de drama típicos de novela, mas os próprios adolescentes são reconhecidamente reais – longe dos arquétipos bidimensionais que viviam nas páginas dos quadrinhos. Em Riverdale, Archie é um menino pensativo, não muito mau, mas ruim o suficiente para ter um caso com sua professora de música; Betty ainda pode morar na casa ao lado, mas ela tem um lado negro que se manifesta em cortes auto-infligidos em forma de lua crescente em suas mãos e a colocação de uma peruca preta para que ela possa se transformar em Bad Betty.

E Veronica? Ela pode ser a personagem que sofreu a maior mudança de todas. Claro, ela ainda é uma garota do papai, com sex appeal de sobra, rica como o diabo, e, sim, propensa a um pouco de ”bitch” de vez em quando, mas a Veronica de Riverdale é muito mais do que isso: ela também é vulnerável, compassiva, conflituosa dentro de sua lealdade, fazendo o seu melhor para navegar em um mundo traiçoeiro – e, graças à entrega impecável de Mendes, capaz de proferir o nome “Archiekins” e ser totalmente acreditável como algo que uma adolescente por volta de agora diria.

A credibilidade é a qualidade mais importante que um ator pode ter, e é especialmente necessário quando se interpreta uma personagem que se encontra difícil de se acreditar em circunstâncias como, digamos, descobrir que seu pai é o chefe de um sindicato do crime e tem um rival mortal que atende pelo nome de “Papa Poutine”, ou que um bar de motoqueiros estaria super investindo em um trio de adolescentes realizando uma versão de karaokê de “Mad World”. Nas mãos de um ator inferior, essas situações podem ser uma reviravolta. Mas Mendes faz delas tudo menos inferiores; ela torna impossível desviar o olhar de Veronica, que luta para manter seu senso de identidade em um mundo que se ficou, sim, louco, está entre as mais atraentes em Riverdale. Tudo isso torna ainda mais interessante descobrir que Mendes nem achava que ela estaria apta para o papel de Veronica quando ela ouviu falar sobre isso.

“Desde o início”, diz Mendes, “quando eu olhei para a personagem, pensei: Ah, ela é como uma garota pin-up. Vai ser Krysten Ritter, uma garota branca com cabelos pretos. Eu a vi como uma garota branca.” Mas uma vez que Mendes descobriu que a Veronica de Riverdale ia ser latina, ela sabia que tinha que tentar esse papel: ”Eu estava tipo, ‘Espere, espere, eu sou a Veronica latina. Eu posso fazer isso.”

A partir daí, seguiu-se um exaustivo processo de audição, embora todos saibamos como a história termina: Mendes foi escalada como Veronica Lodge, colocando sua marca indelével em uma das morenas mais icônicas da história da cultura pop. É o tipo de coisa que, em retrospecto, parece menos como um ponto de encontro amorfo de trabalho duro e sorte, e mais como destino, como a escalação de Mendes era inevitável. Sente-se ainda mais quando Mendes revela que ela, Lili Reinhart, que interpreta Betty, e Cole Sprouse, que interpreta Jughead, fizeram um teste para suas partes juntas: “Eu me lembro daquele momento tão claramente, nós três estando naquela sala.. Lembro-me de estar sentada ao lado de Lili, dizendo: “Então, de onde você é?” Apenas conversa fiada antes da audição. Eu lembro de falar com o Cole. Nós nos ligamos ao fato de que nós dois suamos muito antes das audições,” Mendes ri, lembrando: ”Eu estava literalmente na sala com toalhas de papel… eu as colocava debaixo dos braços e antes de chamar meu nome eu as colocava longe.”

Desde que Mendes se sentou pela primeira vez naquela fatídica sala, sua vida mudou completamente, mudando de uma estudante universitária desconhecida que estava indo em várias audições para uma atriz que é faz parte de um fenômeno da cultura pop, com um acompanhamento incrivelmente investido. Mas Mendes não apenas construiu sua contagem de seguidores (9,5 milhões no Instagram, e contando) simplesmente postando fotos de seus looks no tapete vermelho ou dos bastidores de Riverdale (embora existam muitos deles). Em vez disso, a presença da mídia social de Mendes é notável por sua transparência radical e sua disposição em revelar as partes imperfeitas do que muitos poderiam pensar ser uma vida perfeita. Essa é uma qualidade refrescante em um momento em que as pessoas – famosas ou não – só se sentem confortáveis ​​colocando versões hiper-filtradas de suas vidas no mundo, distorcendo-se e obscurecendo-se de tal maneira que é difícil reconhecer qualquer coisa que seja real.

Para Mendes, no entanto, ser honesta sobre sua vida não é uma grande escolha; é só quem ela é. “Eu sou uma pessoa muito aberta, apenas em geral com as pessoas”, explica ela. ”Estou muito disposta a falar sobre qualquer coisa em qualquer momento. Eu prospero isso. Eu tenho que ativamente tentar manter as coisas privadas. Meu primeiro instinto é estar aberta. Na maioria das vezes, eu fico tipo “Foda-se!” Eu só vou falar sobre isso. ‘Eu não sou preciosa sobre muitas coisas. Eu sou apenas o tipo de pessoa que gosta de se conectar com as pessoas sobre absolutamente qualquer coisa.”

Uma das maneiras pelas quais ela está conectada com as pessoas é através de sua conta sincera de histórias sobre distúrbios alimentares e sua promoção da auto-aceitação. Mendes explica por que ela decidiu falar sobre essas coisas, dizendo:”Eu só comecei a lidar com o meu próprio distúrbio alimentar recentemente. Então, como eu estava lidando com isso, parecia que era uma boa oportunidade para falar sobre, porque eu estou nesse estado vulnerável também. Não é como “Oh, eu já passei por essa fase da minha vida. Estou tão perfeita e feliz agora. Ainda estou lutando e lidando com todas essas coisas. Eu posso lutar pra sempre.”

Mas assim como ela ajudou inúmeras pessoas a se sentirem vistas em suas próprias lutas, a resposta que Mendes recebeu dos fãs a fortaleceu enormemente. Ela diz: ‘Eu fui mais gentil comigo mesma por causa de todo o feedback positivo. Eu acho que todo o encorajamento dos fãs, e o quanto eu vejo que eles estão passando pela mesma coisa, e o quanto eu sinto que eu realmente tenho uma oportunidade aqui para inspirar as pessoas e as impedir de seguirem esse caminho, me mostrou que eu realmente poderia fazer essa diferença na vida de alguém… Então, as vozes estão começando a desaparecer. Bem, ela ri, elas são apenas menos proeminentes na minha cabeça.”

A responsabilidade de ser uma modelo não é uma que Mendes estava esperando, mas é algo que ela agora diz que “parece certo”, especialmente porque ela aborda isso de uma maneira que parece verdadeira para quem ela é. Ela explica: “É um poder enorme que eu quase não queria ter no começo. Eu fiquei tipo “Oh meu deus. Eu não quero ter voz. Eu não quero que as pessoas olhem para mim. “Eu não queria ser um exemplo porque não me sentia como um. Mas, ao invés de tentar ser como, ‘Vocês todos deveriam respeitar tudo que eu digo e me ver como essa coisa perfeita’, era mais como: ”não, eu posso ser uma porta voz, porque eu estou passando pelo que eles também estão provavelmente passando. Como sou uma pessoa real, estou disposta a falar sobre isso.”

Uma das primeiras coisas que as pessoas aprendem na recuperação é que elas estão tão doentes quanto seus segredos; É somente quando você começa a ser honesta consigo mesma e com aqueles ao seu redor que você pode começar a se curar. Mas é mais fácil falar do que fazer, e a transparência total fica mais complicada quando o círculo de pessoas nas quais você confia viram milhões. É precisamente por isso que Mendes sente que isso é um ato tão importante – apenas, claro, não é um ato, é apenas quem ela é.

Há um jogo que muitos atores jogam quando são entrevistados, um jogo meio parecido com o Keep-Away, só que ao invés de garantir que a bola seja erguida e fora das mãos do seu oponente, este jogo tem um objetivo diferente: vida privada fora da vista do público. É compreensível querer esse filtro, mas também é revelador quando esse filtro desaparece e a força total da energia interior de alguém é liberada. Parece nuclear; não é de admirar que Mendes pareça brilhar com uma luminosidade vibracional. É meio difícil desviar o olhar do brilho dela.

No entanto, como Mendes é rápida em apontar: “Não é só arco-íris e borboletas. Não é como se eu finalmente estivesse em um lugar de amor-próprio e auto-aceitação. Ontem me senti horrível. Há dias bons e dias ruins. Eu tenho que separar como me sinto sobre mim mesma do que eu intelectualmente sei sobre mim mesma. Eu posso dizer todas essas coisas, e eu acredito totalmente e as compreendo, mas é muito difícil mudar a maneira como você se sente em relação a si mesmo. São duas coisas separadas e ambas existem. É uma constante dança entre os dois.”.

O equilíbrio tornou-se uma parte fundamental da vida de Mendes agora, já que ela trabalha não apenas para cuidar de sua crescente carreira (ela fez três filmes desde que foi escalada em Riverdale), mas também para manter um olho aberto no que ela imagina para seu futuro profissional… Mendes é rápida em dizer: “Essa carreira definitivamente significa mais para mim do que qualquer outra coisa na minha vida. Isso é um presente para mim. Eu adoro atuar e não quero nunca desvalorizar isso.” Mas ela também não vê o sucesso como uma coisa só, em partes porque crescendo, ela não tinha atrizes cujas carreiras ela sentia como se pudesse imitar.

“Eu realmente não senti que tinha pessoas para eu me inspirar que fossem parecidas comigo”, diz Mendes. “Você pensa em todas as atrizes respeitadas atualmente, como as que estavam no Oscar e em ganhando todos esses prêmios, e as mais bem-sucedidas geralmente são mulheres brancas mais velhas. Eu não me relaciono com isso. Esta não sou eu. Então, como tento alcançar uma quantidade semelhante de sucesso do meu jeito? Talvez não se pareça comigo no Oscar.”

Mendes não desconsidera tanto os marcadores tradicionais de sucesso quanto reconhece que, da mesma forma que nossa ideia de que tipo de atriz poderia desempenhar o papel de Veronica Lodge mudou, a ideia de como o sucesso se parece também mudou. E não é apenas sucesso, também são coisas como padrões de beleza. Mendes lembra: ”Quando eu era criança, as séries que eu assistia, a mídia que eu olhava, eram sempre mulheres altas, magras e brancas. Como em Friends, todos eram magros e brancos. The O.C., que era outra série que eu amava, Gossip Girl, toda série que eu assistia as mulheres eram altas, magras e brancas. Isso tem um grande impacto na minha percepção de o que é beleza. Agora, estamos colocando todos os tipos de formas na mídia e em todos os tipos de aparência. Há muito mais cor e variedade em nosso mundo do entretenimento, e as pessoas estão começando a ver esses diferentes estilos sendo glamourizados e celebrados em vez de serem empurrados para os lados.”

Mendes é rápida em apontar, no entanto, que ela amava todas essas séries, ”Mas, é só que não havia mais nada. Isso foi tudo que sabíamos”. E é por isso que ela ama a forma como as mudanças estão sendo feitas na paisagem cultural e se orgulha de fazer parte da geração que fez essas mudanças. Ela diz: “Não somos conformistas. As pessoas estão se orgulhando de se sobressair ao invés de se afastar disso. Isso leva a beleza e positividade corporal também. Estamos abraçando a ideia sermos únicos. Estamos entendendo o fato de que não há mais ninguém como você no mundo. Isso é algo que deve ser celebrado e não criticado”.

Pode ser fácil conversar com Mendes e se maravilhar com todas as coisas que ela está fazendo, de todas as maneiras que ela está se mantendo ocupada, e então perceber que ela está tão ocupada com o trabalho e construindo sua carreira que ela poderia facilmente perder a noção de si mesmo no meio do caminho. Mas ela promete que ela cuida de si mesma. “Eu amo ser mimada”, diz ela com uma risada. “Eu amo apenas aparecer e deixar alguém fazer o trabalho.”

Então, eu digo, é como se você quisesse tirar o “auto” do autocuidado.

“Sim!” Ela diz, “Tire o ‘auto’ de auto-cuidado. Eu amo isso… As pessoas esquecem que somos apenas corpos. Nós somos carne. Às vezes é tão simples quanto fazer uma massagem. Vá desligar o seu cérebro por uma hora. Isso faz uma diferença tão grande no seu humor, na sua clareza e foco. Somos apenas carne com um cérebro.”

É uma visão refrescante, perfeitamente alinhada com sua declaração anterior de que ela está bem em mostrar o mamilo, a qualquer hora, em qualquer lugar, e isso me lembra que há uma coisa sobre a qual ainda tenho que perguntar, uma coisa bem particular que é exatamente o tipo de coisa que a maioria das celebridades nunca seria honesta sobre. Então, em um teste de transparência, eu decidi perguntar: Você está namorando alguém?

Mendes sorri – um grande sorriso, do tipo que eu especificamente noto na hora, porque se espalha tão amplamente em seu rosto.

“Há uma perspectiva.”

É um ator?

“Não, e por isso eu acho que é tão bom. É alguém completamente fora da indústria. É engraçado porque eu estou mais hesitante em falar sobre isso porque eu não quero que ele leia isso… Eu realmente falaria sobre isso agora, se eu não sentisse vontade, Espere, ele pode ler isso. “

Tudo bem, não precisamos falar sobre isso…

Mas Mendes me afasta, dizendo: ”Não, não, tudo bem. É só que namorar pessoas na indústria é difícil. Eu fiz isso por um tempo. Acabei de namorar atores. É difícil quando esse é o seu mundo. Você só conhece pessoas através do trabalho e isso pode ser muito difícil, porque você não está necessariamente conhecendo pessoas com quem você é parecido. São apenas pessoas com quem você trabalha porque você está trabalhando no mesmo projeto. Eu aprendi a não fazer isso. Graças a Deus nada de ruim aconteceu nessas experiências.”

Então você nunca mais irá namorar com outro ator?

”Eu percebo que não acho que gosto de atores. Os atores são realmente complicados emocionalmente. Você pensaria que eles seriam mais afinados com suas emoções, mas às vezes eles simplesmente não são. Eu realmente preciso sair dessa indústria com alguém que esteja em um ambiente estável.”

Estabilidade é algo importante para Mendes agora; a necessidade disso foi até apontada para ela por uma leitora de tarô que ela visitou em Nova Orleans. Mendes revela que a mulher – que também disse a Mendes que estaria entrando em um relacionamento romântico significativo em breve – ”acertou tudo”. Mendes diz: ‘‘Agora, tudo é um pouco exagerado. É muita merda a ser jogada em mim o tempo todo e é tudo novo. Eu fico tipo, bem, como faço tudo isso? Como faço para gerenciar tudo isso e ainda permanecer sã?”

Mendes explica que a leitora de cartas de tarô viu isso, observando que Mendes estava “ocupada pra caralho”, mas também disse a ela: “Venha no ano que vem, você estará tão ocupada, mas vai se sentir bem com isso. Será confortável.” E Mendes diz que ela pode ver isso, ela pode ver a possibilidade de uma realidade sólida em um futuro não muito distante, uma para a qual ela está lançando as bases, dia após dia, decisão por decisão, revelação por revelação..

”Realmente vale tudo”, diz Mendes. “Eu não sei onde esta vida vai me levar. Não vou tentar prever isso nem projetar nada nele. Quem dirá para onde estou indo?”

E é verdade, é impossível saber exatamente para onde se dirige Mendes, porque esta indústria, este país, este mundo, estão sempre mudando, mas quando se trata de quem dirá para onde está indo Mendes? Bem, na verdade não é tão difícil de responder: Camila Mendes se direcionará para qualquer caminho que ela determine ser dela, para um futuro tão aberto quanto o sorriso que se espalha em seu rosto enquanto ela coloca os óculos de sol, se despede e caminha para o calor amarelo do verão.

 

Fonte: Nylon Magazine
Tradução & Adaptação: Camila Mendes Brasil